Securitizadoras x Instituições Financeiras: conheça as principais diferenças e vantagens

Que o crédito é uma necessidade para qualquer tipo de negócio, é fato. Em algum momento da vida de uma empresa, é comum que seja necessário um aporte para realizar investimentos, adquirir maquinários, expandir ou mesmo para passar por um momento de crise. A dúvida neste momento, portanto, está mais ligada ao melhor formato de crédito, do que à necessidade do dinheiro em si.

Felizmente para os empreendedores, hoje eles não precisam mais ficar presos à operações burocráticas com instituições financeiras. Muitas alternativas surgiram para facilitar a vida do negócio que precisa capitalizar. Uma dessas alternativas está nas securitizadoras.

Dá uma olhada no nosso vídeo explicando o que é securitizadora de ativos empresariais antes de continuar:

Abaixo, explicamos a diferença entre as securitizadoras e as instituições financeiras que oferecem créditos tradicionais. Acompanhe!

Securitizadora: o que é a securitização de recebíveis?

A securitização de ativos empresariais é o processo de criação do que é conhecido como títulos garantidos por ativos. Esses títulos, que podem ser negociados no mercado de valores, são garantidos pelo que é chamado de direitos recebíveis, ou seja, as contas a receber de um negócio.

Muitos ativos subjacentes são agrupados e vendidos como um pacote para investidores. O objetivo da securitização é reunir ativos financeiros ilíquidos – geralmente algum tipo de empréstimo, como hipoteca, dívida de cartão de crédito ou contas a receber – para criar liquidez para a empresa emissora.

A securitização cria liquidez para a empresa porque os títulos lastreados em ativos resultantes podem ser vendidos aos investidores. Em outras palavras, os títulos são líquidos para o investidor porque podem ser negociados no mercado aberto, ao contrário dos direitos creditórios a partir dos quais são criados

Esse processo fornece ao negócio um novo capital que pode ser usado da melhor forma para o seu momento financeiro. Levantar capital por meio de securitizadoras geralmente pode ser mais econômico do que tomar empréstimos com instituições financeiras.

O que caracteriza uma instituição financeira?

Já as instituições financeiras são organizações cujo modelo de negócios se baseia na geração de receitas pela cobrança de juros em cima das operações realizadas. Em outras palavras, quando você realiza um empréstimo ou outra operação com uma instituição financeira, pagará taxas e juros em cima dela.

Por serem instituições mais tradicionais, as operações de crédito realizadas pelas instituições financeiras são enraizadas em processos incrivelmente burocráticos. Para reduzir o risco a que se expõem, as instituições analisam a fundo o perfil dos mutuários, o que, muitas vezes, significava dificuldades para pequenas e médias empresas que buscam uma alternativa.

Na securitização, no entanto, por se tratar de uma operação comercial (em que os recebíveis da empresa são vendidos para a securitizadora, que então fará o lastreamento dos títulos por meio de debêntures geradas pelo software para securitizadora), o processo é muito mais rápido, as taxas cobradas são menores e a liquidez é mais alta para os empreendedores.

Por que a securitizadora oferece mais vantagens do que as Instituições Financeiras?

Quando chega a hora de buscar uma linha de crédito ou antecipar recebíveis, os bancos e outras instituições financeiras tradicionais, assim como as securitizadoras, também viabilizam este tipo de serviços. Então, quais as principais diferenças entre as instituições financeiras e as securitizadoras?

Em primeiro lugar, nos bancos e instituições financeiras não ocorre a transferência de riscos, como acontece com na securitização e, por isso, as chances de não receberem os valores devidos são muito maiores.

Caso os pagamentos devidos não sejam quitados até a data estipulada em contrato, os mesmos podem ser devolvidos ao seu originador acarretando a devolução do dinheiro aos bancos ou instituições.

Tal potencialização de riscos para transações desse tipo acaba promovendo juros bem maiores e menos atraentes que os oferecidos pelas securitizadoras.

As instituições financeiras tradicionais, além de juros altos também envolvem outras taxas em suas transações. Uma das mais conhecidas é a incidência de Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF).

Portanto, o ponto mais atrativo de se trabalhar com as securitizadoras de ativos empresariais ao invés das tradicionais instituições financeiras, certamente, é o baixo custo, que só é possível graças a menor tributação que estão sujeitas e às garantias envolvidas em suas transições e, consequentemente, a diminuição dos riscos de calote ou não pagamento.

Em segundo lugar, uma outra desvantagem das instituições financeiras tradicionais é a demora e a burocracia envolvidas nas transações, o que acaba deixando as securitizadoras com mais um ponto positivo no placar.

Para o empreendedor, o securitização também reduz o valor da dívida cedida de seu balanço, o que por um lado leva a uma redução correspondente em seus requisitos de capital e, por outro lado, lhe permite trazer liquidez adicional (que pode ser usada para fazer novas operações e otimizar os processos da empresa).

Sem dúvidas, a securitzação de ativos empresariais é a saída para negócios que buscam uma alternativa rápida, menos burocrática e onerosa para conseguir capital e investir da forma que a empresa precisa.

Quer saber mais sobre securitização de ativos empresarias ou deseja falar com nossos consultores? Siga nossas redes sociais ou preencha nosso formulário que entraremos em contato!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Aniversário Decisão Sistemas | 50% de desconto nas primeiras 2 mensalidades

0
Would love your thoughts, please comment.x