Capital de giro para pequenas e médias empresas: o que você precisa saber

Imagem de uma mão masculina segurando notas em dinheiro de 100, 50 e 20 reais.

Quem é empresário sabe que todo negócio passa por momentos difíceis, e ter capital de giro pode ser a garantia de continuidade das atividades durante essas fases. Afinal, é comum que as vendas diminuam de vez em quando, que haja necessidade de inovar o maquinário ou que as contas aumentem esporadicamente, por diversos motivos.

Portanto, é necessário ter planejamento para garantir que os negócios operem sempre dentro de margens positivas. Nesse planejamento, é essencial ter capital de giro. Quer entender mais sobre o assunto? Confira o artigo a seguir.

O que é capital de giro?

Uma expressão tão conhecida e tão importante para o mundo corporativo, mas que ainda causa muitas dúvidas. De forma simplificada, capital de giro é o volume de recursos que a empresa precisa ter em caixa para funcionar de forma saudável, manter a qualidade dos serviços e produtos e pagar suas contas em dia.

Em outras palavras, é a quantidade de dinheiro necessário para manter o negócio funcionando, cobrir os custos até que comece a entrar alguma receita.

O capital de giro é um dos pontos mais importantes a serem observados em qualquer empresa, pois sem ele não há formas de crescer e alavancar os negócios. Sem esse recurso, uma empresa tende a ficar estagnada e pode até ir à falência.

No Brasil, abrir uma empresa sem ter capital de giro é muito comum. Por aqui, as pessoas, muitas vezes por necessidade, por falta de emprego e muitos outros motivos, abrem seu próprio negócio “na cara e a coragem” e sem ter o orçamento adequado.

Às vezes, a intenção ao empreender é manter o sustento da família, e não há um plano de negócio ou qualquer tipo de preparação antes de iniciar o negócio. A pior parte da história é que alguns nem mesmo sabem para o que serve o capital de giro e não têm ideia do quanto ele é importante para a saúde e o crescimento da empresa.

Para que serve o capital de giro?

O capital de giro é a base financeira que vai garantir a continuidade dos negócios de qualquer empresa. Para ter sucesso no empreendedorismo, é preciso ter a mentalidade de investir primeiro para ter lucro depois.

Porém, isso só acontece se houver um recurso disponível para investir. Este capital não é apenas usado para abrir a empresa, fazer contratações e iniciar a operação. É importante que o recurso cubra as despesas do negócio enquanto não tiver nenhum recebimento por vendas.

Portanto, o capital de giro, vai viabilizar as vendas à prazo, já que a empresa consegue se sustentar por um período sem a entrada de recursos. Além disso, o capital de giro pode proporcionar o aproveitamento de boas oportunidades de negócios.

Por isso, o recurso é essencial para a abertura e principalmente continuidade dos negócios, além de manter a empresa sempre em dia com o pagamento dos impostos, salários e outras obrigações.

Como calcular o capital de giro da empresa?

Como já falamos, o empreendedor precisa estar preparado para gastar antes de lucrar, então é essencial que ele saiba exatamente quanto é preciso ter em caixa. O cálculo do capital de giro deve ser uma constante dentro de qualquer negócio. Para começar, calcule os custos fixos do seu negócio. Alguns exemplos:

  • Aluguéis;
  • Folha de pagamento;
  • Contas de serviço como água, luz e internet;
  • Prestações que já foram assumidas.

Também devem ser considerados empréstimos, impostos, custo com estoque, etc.

Depois de chegar a este valor, calcule quanto é preciso vender para ter algum lucro. De forma bastante simplificada, é possível usar a fórmula abaixo para chegar no valor do seu capital de giro:

Valor das Contas a Receber (VCR) + Valor em Estoque (VE) – Valor das Contas a Pagar (VCP) = Capital de Giro (CG)

Como conseguir uma linha de crédito para capital de giro?

E quando a empresa não possui esse recurso, o que fazer para conseguir capital de giro para uma micro, pequena ou média empresa? Basta chegar a um banco qualquer e solicitar o crédito. Rápido, fácil e sem burocracia, não é mesmo?

Seria muito bom se tudo fosse simples assim, mas não é o que realmente acontece. No Brasil, conseguir uma linha de crédito não é tarefa fácil. Na verdade, quanto menor a empresa e mais recente, mais complicado.

Os bancos são sempre os primeiros a barrarem as tentativas de pequenos empresários de conquistarem linhas de crédito, graças à tamanha burocracia envolvida neste processo. Inclusive, chega a ser assustador para quem acaba de chegar ao mercado.

Então, se os grandes bancos colocam uma muralha entre os pequenos empresários e as linhas de crédito, as factorings são excelentes alternativas. Claro que a factoring fará um trabalho de análise dos riscos, mas é muito mais fácil conseguir uma linha de crédito dessa forma do que recorrer aos bancos.

Inclusive, as factorings vêm há anos ajudando micro, pequenas e médias empresas de todo o Brasil a crescerem e aumentarem seu faturamento. Elas estão prontas para fomentar o desenvolvimento e facilitar a busca de recursos para esses empreendimentos.

Por que optar por uma factoring para antecipação de recursos?

As factorings oferecem antecipação de crédito de forma rápida e descomplicada, além de taxas e condições mais atraentes que as demais instituições financeiras.

Atuando na compra e antecipação de recebíveis, essas companhias têm conseguido alavancar a economia brasileira apoiando pequenos empresários, um tanto quanto desamparados pelas grandes instituições financeiras do país.

Nos últimos anos o número de novas empresas no Brasil tem crescido gigantescamente e, em sua maioria, conseguem sobreviver em média apenas dois anos, em virtude de tantos obstáculos burocráticos que enfrentam em seus primeiros anos de vida.

Independente da finalidade para a qual o crédito adquirido será utilizado, as factorings se destacam no que tange ao estímulo e impulsionamento dos pequenos empresários oferecendo a eles a força que precisam para crescerem e alcançarem a tão sonhada estabilidade.

Como fazer a gestão do capital de giro?

O principal objetivo de uma boa gestão do capital de giro é manter as reservas em equilíbrio e a estabilidade do negócio.

Além disso, é possível evitar recorrer a empréstimos. Para manter uma boa gestão do capital de giro, é importante:

  • Reduzir os custos (identifique e corte gastos desnecessários);
  • Tenha um bom processo de cobrança e de controle de estoque;
  • Seja disciplinado em manter sempre o capital de giro na quantia adequada, ou seja, reponha o valor assim que possível;
  • Negocie com fornecedores descontos para pagamentos à vista ou aumentos de prazos, e com clientes tente reduzir os financiamentos;
  • Se preciso, faça uma antecipação de recebíveis (mas tome cuidado com as vantagens e riscos desse tipo de operação).

Gostou dessas informações? Quer saber mais sobre a antecipação de recebíveis? Então baixe esse simulador gratuito e otimize a rotina da sua empresa.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Aniversário Decisão Sistemas | 50% de desconto nas primeiras 2 mensalidades

0
Would love your thoughts, please comment.x