Cobrança extrajudicial: o que é e como proceder em uma Factoring?

Aperto de mão simbolizando o fim de uma negociação.

Imagine a seguinte cena: após meses de trabalho árduo, sua empresa de factoring finalmente fecha um grande negócio, prometendo um fluxo de caixa robusto e a possibilidade de expansão. No entanto, com o passar do tempo, alguns dos créditos adquiridos começam a apresentar atrasos nos pagamentos.

Inicialmente, parece uma questão administrativa simples, mas rapidamente se transforma em um problema financeiro significativo, afetando a liquidez e a capacidade de investimento da sua empresa. O cenário se agrava quando a tentativa de resolver a situação amigavelmente se mostra infrutífera, e a perspectiva de ações judiciais longas e custosas parece ser a única saída.

Este é um cenário comum no mundo das Empresas de Fomento Mercantil e Comercial (Factoring), onde a eficiência e a eficácia na gestão da cobrança extrajudicial podem significar a diferença entre o sucesso e a estagnação.

Antes que a necessidade de ação judicial se torne uma realidade, a cobrança extrajudicial surge como uma ferramenta essencial, capaz de recuperar créditos de maneira eficiente e econômica, preservando relações comerciais valiosas e mantendo a saúde financeira da empresa.

Neste artigo, vamos mergulhar no conceito de cobrança extrajudicial, explorando seu funcionamento, benefícios e as melhores práticas para proceder de forma efetiva.

Nosso objetivo é não apenas ajudá-lo a entender a importância desse processo, mas também fornecer estratégias concretas para implementá-lo com sucesso, garantindo a sustentabilidade financeira e a prosperidade do seu negócio.

O que é cobrança extrajudicial?

A cobrança extrajudicial representa uma estratégia fundamental para empresas, notadamente aquelas atuantes no setor de factoring, visando à recuperação de valores devidos de forma amistosa e sem a intervenção judicial.

Esse processo inicia-se através do envio de notificações ao devedor, com o objetivo de estabelecer um canal de comunicação direto, que possibilite o diálogo e a negociação para o pagamento da dívida.

Este método é preferível por ser menos oneroso e mais rápido do que o litígio judicial, além de preservar a relação comercial com o cliente, promovendo uma resolução de conflitos mais eficiente e menos desgastante para ambas as partes.

Como funciona a cobrança extrajudicial?

A cobrança extrajudicial é indicada quando há atrasos no pagamento, mas ainda existe a chance de solução amigável entre as partes. Este processo envolve o contato direto com o devedor para informá-lo sobre a dívida e buscar um acordo para o pagamento. 

Trata-se de um procedimento que visa a recuperação de créditos sem a necessidade de intervenção judicial. Inicia-se com o contato direto com o devedor, por meio de comunicação como telefonemas, e-mails ou correspondências, para informá-lo sobre a dívida e negociar formas de pagamento.

Estratégias como prazos estendidos, descontos ou parcelamentos podem ser propostas para facilitar a quitação do débito. O objetivo é resolver a inadimplência de maneira amigável e eficiente, evitando os custos, a morosidade e a complexidade de um processo judicial.

Caso a cobrança extrajudicial não resulte em acordo, a empresa pode, então, optar pela via judicial. Prioriza-se a manutenção da boa relação comercial e a minimização de prejuízos financeiros e de imagem para ambas as partes.

Quais são os benefícios da cobrança extrajudicial?

A cobrança extrajudicial desempenha um papel fundamental na gestão financeira, oferecendo um meio eficaz e ágil para recuperar créditos.

Diferente dos processos judiciais, que podem ser longos e custosos, a cobrança extrajudicial fornece uma solução rápida e econômica para resolver pendências financeiras. Confira os principais benefícios.

Agilidade na recuperação de créditos

A cobrança extrajudicial se destaca pela sua rapidez em comparação com os processos judiciais, proporcionando uma recuperação de créditos de maneira mais ágil e direta. Esta rapidez é crucial para a liquidez financeira das empresas, pois permite que os recursos sejam recuperados e reinvestidos no negócio em um período menor.

Economia de custos

Optar pela cobrança extrajudicial resulta em uma significativa economia de custos para as empresas, pois elimina a necessidade de taxas legais e custos processuais associados aos litígios judiciais.

Essa economia é especialmente relevante para empresas que enfrentam um grande volume de dívidas a recuperar, onde os custos judiciais poderiam acumular-se rapidamente e afetar a saúde financeira da empresa.

Preservação das relações comerciais

A cobrança extrajudicial é fundamental para preservar as relações comerciais, pois permite abordar as dívidas de forma mais amigável e menos confrontadora em comparação com as ações judiciais.

Ao optar por essa abordagem, as empresas podem manter um bom relacionamento com o devedor, facilitando a comunicação e abrindo espaço para negociações e acordos que respeitem as capacidades de ambas as partes.

Como evitar a cobrança extrajudicial

Para evitar a necessidade de cobrança extrajudicial, é crucial implementar estratégias proativas na gestão de crédito e relações financeiras.

Boas práticas de gestão de crédito

Implementar uma análise de crédito eficiente é fundamental para mitigar o risco de inadimplência. Essa prática envolve avaliar a solvibilidade dos clientes antes de conceder crédito, o que pode incluir a análise de históricos financeiros, scores de crédito e capacidade de pagamento.

Uma gestão de crédito robusta não apenas reduz a probabilidade de atrasos e inadimplências, mas também ajuda a empresa a tomar decisões informadas, equilibrando oportunidades de vendas com riscos financeiros.

Políticas de pagamento claras

Definir e comunicar claramente as condições de pagamento é crucial para prevenir mal-entendidos e atrasos. Por isso, estabeleça termos de pagamento específicos, incluindo prazos, taxas de juros para atrasos e penalidades por inadimplência. Essas políticas devem ser transparentes e consistentes, assegurando que os clientes compreendam suas obrigações financeiras desde o início.

Monitoramento proativo de inadimplências

O acompanhamento regular do status dos pagamentos permite à empresa agir rapidamente em caso de atrasos, evitando que pequenos atrasos se transformem em grandes inadimplências. Utilize sistemas de gestão financeira para alertas automáticos de vencimentos e atrasos, permitindo intervenções tempestivas.

Conclusão

Entender a cobrança extrajudicial e saber como proceder são essenciais para as empresas de factoring. Este processo não só agiliza a recuperação de créditos, mas também preserva a saúde financeira e as relações comerciais da empresa. Adotar medidas preventivas e práticas eficientes de gestão pode reduzir significativamente a necessidade de recorrer a essas cobranças.

Gostou do artigo? Aproveite para ler também Gestão operacional: como utilizar na sua Factoring.

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
IRANILSON BARBOSA DA CRUZ
IRANILSON BARBOSA DA CRUZ
2 anos atrás

MUITO BOM. UMA SAIDA AMIGAVEL, PARA O DEVEDOR. O ACORDO CERTO. A PAZ.!

Sebastião M. Monteiro
Sebastião M. Monteiro
2 anos atrás

Bom dia. Excelente texto.Foi muito útil para mim. Vou acessar a página de vcs., pois preciso reiterar uma notificação extrajudicial que o notificado ainda não se manifestou sobre um eventual acordo.

Rafael
Rafael
2 anos atrás

Boa tarde estou com um protesto só que eu estou tentando fazer um acordo com o valor bem acima da dívida só que a empresa está enrolando será que eu posso acionar um advogado para tentar resolver isso

Rafael
Rafael
1 ano atrás

Olá, tudo bem?
Eu recebi uma e não tenho como pagar.
Não estou trabalhando, moro de favor e não possuo bens e dinheiro.
O que pode acontecer comigo?

Podem me orientar?

6
0
Would love your thoughts, please comment.x